facebook INSTA

PL da “Escola sem Partido“ é barrado na Câmara de São Paulo

camara-SP

Nesta quinta-feira (20), o Projeto de Lei 222/2017 Escola sem Partido, que estabelece a censura nas escolas da cidade de São Paulo, foi derrubado da pauta da Câmara dos Vereadores de São Paulo, por falta de quórum para a votação.

A União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), o Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo (Sinpeem), integrantes de movimentos sociais, entre outros, lotaram as galerias da Câmara Municipal em protesto, para acompanhar a votação do projeto.

O Projeto de Lei 222/2017 é de autoria do vereador e membro do MBL Fernando Holiday (DEM). Segundo eles, o objetivo da medida é garantir que as crianças e adolescentes da rede municipal de ensino não sejam “doutrinadas” ideologicamente dentro das salas de aula.

O PL tem como objetivo instaurar uma censura às discussões em sala de aula, proibindo professores de manifestarem qualquer posicionamento político, ideológico ou partidário, visando minar a construção de pensamento crítico dentro das escolas, estabelecendo apenas a possibilidade de um único pensamento, aquele que estiver no poder.

“O projeto é absurdo porque não existe escola com partido, o que existe é escola com democracia, com debate de ideias”, criticou o vereador Eliseu Gabriel (PSB). “A intenção deles é fugir da discussão dos problemas reais da educação”, destacou o vereador.

Para o presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Paulo (UMES), Lucas Chen, a vitória de hoje foi importante. “Para nós estudantes, é uma grande vitória, mas neste momento, precisamos nos organizar, para que no ano que vem, possamos voltar com força total, porque não só aqui no município, mas também com o governo federal, nós sabemos que eles farão de tudo para pautar esse projeto novamente contra a educação”, afirmou Chen.

A vereadora Sâmia Bomfim (PSOL) considerou o episódio de hoje na Câmara, pode ser considerado como uma “grande vitória”. “Deve-se destacar a presença essencial de estudantes do movimento estudantil e professores nas galerias, pressionando os vereadores”, escreveu Sâmia.

Após o projeto de censura nas escolas, está prevista ainda a votação do aumento da contribuição da previdência dos servidores municipais, o chamado Sampaprev. O sindicato dos professores da capital paulista convocou para esta sexta-feira uma paralisação dos trabalhadores para acompanhar a votação e lutar pela derrubada do arrocho contra os servidores.

TIAGO CÉSAR
JORNAL HORA DO POVO

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив