facebook INSTA

“Reforma de Bolsonaro e Guedes é um crime de lesa-pátria”

aaaa-1Votação foi em primeiro turno na Câmara. Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

 

O deputado Orlando Silva (PCdoB-SP) condenou a aprovação do desmonte da Previdência, em primeiro turno, na Câmara dos Deputados. “A reforma de Bolsonaro e Guedes vai destroçar a economia de pequenos municípios, movimentada por pensões e aposentadorias de 1 a 2 salários mínimos. Vai gerar mais desempregos e punir mais os pobres”, denunciou Orlando Silva.

 

André-figueiredo-768x516O líder da bancada do PDT, André Figueiredo (CE).
Foto: Luis Macedo – Câmara dos Deputados

 

Para o líder do PDT, deputado André Figueiredo (CE), “fazer uma reforma em que mais de 80% vai ser retirado de quem recebe até três salários mínimos” é um “crime de lesa-pátria!”. O deputado denunciou a “reforma” e conclamou  todos os colegas a votarem contra a PEC 6 no segundo turno. “Que votem a favor do Brasil, que votem contra essa reforma! Que nós possamos defender a causa dos professores, que nós possamos defender a causa das mulheres, que nós possamos defender a causa dos mais humildes”, afirmou.

 

Após pressão do Planalto, que incluiu a promessa de liberação de R$ 3 bilhões em emendas, e a barganha de votos por cargos públicos, a Câmara Federal aprovou em primeiro turno por 379 votos a 131 a proposta de ataque aos direitos previdenciários dos trabalhadores brasileiros.

Na véspera da votação o governo liberou R$ 1 bilhão para o subornar parlamentares e aprovar seu confisco da aposentadoria. Do início de julho até a votação foram R$ 2,6 bilhões no toma lá da “nova política” de Bolsonaro.

 

A proposta a aprovada, através do substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da PEC 6, estabelece idade mínima para a aposentadoria: 65 anos para homens e 62 para mulheres. O objetivo do governo é tirar R$ 1 trilhão dos aposentados para pagar juros aos bancos.

 

Foram mantidas também mudanças no cálculo dos benefícios, que passa a contabilizar a média de todas as contribuições e exige mais tempo de trabalho para atingir valor maior na aposentadoria.

 

Serão exigidos 40 anos de contribuição para um benefício igual a 100% da média das contribuições, enquanto o piso será de 60% da média.

 

Oposição-luis-macedo-câmara-dos-deputados-768x516Deputados denunciaram o esbulho contra a aposentadoria dos trabalhadores.
Foto: Luis Macedo – Câmara dos Deputados

 

Mesmo com toda a chantagem e a compra de votos por parte de Jair Bolsonaro ficaram de fora da proposta, a capitalização (poupança individual), que se passasse significaria a destruição da Previdência Pública, e mudanças na aposentadoria de pequenos produtores e trabalhadores rurais.

 

“O Brasil vai acordar”, advertiu o deputado André Figueiredo. “Quem votar nessa reforma, pode ter certeza, e vai ser no curto prazo, verá que vai ser a copeira, vai ser o pedreiro, aqueles que vão sentir na pele o que é ter 40% a menos de aposentadoria logo após a eventual promulgação desta PEC. Vai ser a viúva que, ao perder seu marido, vai ver o que é perder 50% da renda familiar de 2 mil reais que vai passar para mil reais da noite para o dia. É isso que nós queremos para o nosso país?”, continuou.

 

O parlamentar advertiu: “Tudo que fazemos nesta Casa está sendo gravado na história; está sendo gravado nos corações dos brasileiros que estão nos assistindo. Já, já nós prestaremos contas a eles. Estaremos dentro deste Parlamento dizendo: “cadê os empregos?”, dizendo “cadê o desenvolvimento?”. “Em compensação, estaremos visualizando o empobrecimento, a miséria, a infelicidade da grande maioria do povo brasileiro”, alertou.

 

A deputada Jandira Feghali (PCdoB-R), líder da oposição criticou a reforma. “Isso significa que será uma contribuição definida e uma aposentadoria que não se sabe quando será. Tirando dos pobres e jogando para os bancos. E pior: não estamos combatendo os 460 bilhões de sonegação e não estamos resolvendo nenhuma igualdade ou justiça previdenciária”, disse.

 

Jandira reafirmou que a oposição vai lutar até o fim para derrotar essa proposta.

 

Outro líder da oposição, Alessandro Molon (PSB-RJ), avaliou que o resultado foi “muito ruim para o Brasil”. “Votamos contra essa proposta de Reforma da Previdência aprovada, pois ela é cruel contra os trabalhadores que mais trabalham e menos ganham”.

 

Molon-laex-fereiraAlessandro Molon (PSB-RJ), líder da oposição.
Foto: Alex Ferreira – Câmara dos Deputados

 

“O governo Bolsonaro diz que vai cortar privilégios, mas as principais mudanças desta reforma da Previdência afetam quem ganha até R$ 2 mil. Enquanto isso, o mesmo governo presenteou ruralistas exportadores com isenção de R$ 83 bilhões. Quem são os privilegiados?”, questionou Molon.

 

Túlio Gadelha (PDT-PE), deputado vice-líder da Minoria na Câmara: “eu não sei o que a população brasileira fez de mal ao presidente Jair Bolsonaro para ele mandar esse projeto. […] A oposição vai estar vigilante dentro desses processos para evitar que mais retrocessos venham”, afirmou.

 

No final da sessão de quarta-feira, o plenário da Câmara rejeitou por 265 votos a 184 uma emenda do deputado Wellington Roberto (PL-PB) à proposta da reforma da Previdência (PEC 6/19) que excluía os professores das mudanças da reforma, mantendo as regras atuais para esses profissionais de educação infantil e ensino médio, no setor público ou privado.

 

Logo depois a sessão foi encerrada para continuar na quinta-feira (11) as votações.

 

Por  Publicado em 10 de julho de 2019

 

 

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив