Nós Que Nós Amávamos Tanto

25-6-16 nós que nos amávamos tanto

 

CAIO PLESSMMAN*

 

Em Nós Que Nos Amávamos Tanto, Itália, 1974, Ettore Scola busca localizar com sua câmera as circunstâncias do colapso da amizade e do amor, expressões da resistência ao fascismo, vitoriosas no grande momento de liberdade do pós-guerra. Investiga assim, a partir da sociedade italiana, as bases sociais e psíquicas do entendimento humano.

 

Porém as condições sob as quais esse entendimento dá as cartas no filme (e nos rumos da contemporaneidade) parece fugir à percepção do autor, ou melhor, expressão da fluidez, parecem excepcionar a regra geral, tem momentos raros e, disfarçados pela presença do humor, se perdem pouco a pouco. Scola não apresenta, portanto, um esquema ideologicamente montado, mas, ao contrário, um painel complexo de contradições e variações surpreendentes. Dentre seus personagens, os preferidos parecem ser mesmo o casal socialista (Nino Manfredi e Stefania Sandrelli), que, cheios de altos e baixos, superam sempre as perspectivas de Nicola, anarquista (Stefano Satta Flores) e do democrata-cristão Gianni (Vittório Gassman), mas tudo isso é muito experimental, tem em vista se aproximar do como e do porque, em determinados períodos, as pessoas se juntam, se amam, trabalham unidas, ou ao contrário, rompem os propósitos pactuados no calor da amizade e rasgam a força aglutinadora desse sentimento.

 

Para alcançar esse laboratório afetivo, o autor conjuga várias atmosferas. Vale-se habilidosamente da comédia, da crítica social e do realismo mágico. Seu objetivo, de resto, se extrai das elipses desse mosaico, e de lá expõe sua tábua de valores singulares. É a sua tomada de posição, em um momento delicado. Antes de mais nada, a abertura do perspectivismo (dos personagens) na investigação, exclui todo tipo de ideia emprestada ou pré concebida. A cena onde o amigo Fellini (interpretando Fellini) ouve de Mastroianni (interpretando Mastroianni) “vamos conversar com Moro”, no set de La Dolce Vita, ao final de um dia cansativo e cheio de contrariedades, é o substrato de sua independência intelectual.

 

Não se trata, portanto, apenas do apontar das diferenças de pontos de vista com origem em classes sociais distintas ou posições ideológicas e definir o mais consistente e duradouro, mas de analisar nas diversas situações as deficiências e fraquezas que fazem da vida uma onda adversa frente à vontade humana. Todo um mapa se desenrola expondo de forma sutil aspectos políticos, fraternos, afetivos e estéticos que navegam no inconsciente da sociedade italiana.

 

Essa mistura de comédia e crítica social foi a formulação inicial feita aqui no Brasil, em meados dos anos 40, por Alex Vianny e Alinor Azevedo para a fundação da Atlantida. O projeto acabou desviado, mas sem dúvida já era uma dobra sobre o cenário brasileiro anterior.

 

Mais importante que essa alusão, parece que a forma de filme híbrido, composição de gêneros que surge de Scola, nesse caso, é um pouco mais que a busca de popularidade e ressonância a partir de expressão própria. É uma tentativa de diálogo mais aberto com toda a sociedade, como resposta, por um lado, aos seus personagens (que têm dificuldade, e, ao final, de fato não mais conseguem dialogar), e proposta ao arco cinematográfico que vai de De Sica em Ladrões de Bicicleta, a Fellini, de Dolce Vita, tendo por base os filmes documentais (Rosselini?) – agentes testemunhais da História, todos integrados à obra.

 

Abre-se a magia do filme onde, por dentro, outros filmes surgem e, ocultos, seus autores. Se a influência sobre os protagonistas, os próprios personagens de Nós... (a própria influência da cinematografia sobre a sociedade), parece perdida, a consciência do público se aguça. Os autores, dobras das obras, e, no caso italiano, atores da história e personagens da resistência, ecoam a questão de Scola: “nós, autores, podemos deixar prevalecer a incompatibilidade e a indiferença?”. Na realidade é a pergunta que cabe a nós responder, nós personagens autores de nossas vidas – nós que nos amamos tanto.

 

* É diretor de cinema

Carteirinha da UMES

 

icone-carteirinha-umes

 

icone-guia-de-descontos-umes

 

 

 

Informações

 

icone-gremio-estudantil

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros

 

sptrans

 

 

logo zumbi faculdade comunitaria

 

 

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

 

 

portal do bixiga

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив