Caravanas de todo o país vão a Brasília contra PEC 55-241

p5a

 Centrais, servidores, movimentos sociais e estudantes preparam grande ato dia 29 

As centrais sindicais CGTB, CUT, CSP-Conlutas e CTB, além de diversas entidades da educação e do movimento social, convocaram para o próximo dia 29, quando será votada a PEC 55 no Senado (antiga 241 da câmara), uma grande caravana saindo de todo o país até Brasília para barrar o seu avanço.

Segundo apontam as entidades que assinaram o documento “Ocupa Brasília”, que convoca a mobilização, “essa proposta [a PEC 55] põe teto nos gastos públicos com questões sociais, tais como, educação, saúde e previdência social”. Esse teto será definido pelo valor da inflação do ano anterior e a partir daí não seria mais possível investir um centavo sequer por 20 anos. Ficam impedidos os aumentos reais dos funcionários públicos, a abertura de concursos e qualquer tipo de investimento. A única parte do orçamento que ficariam livres de amarras seria, justamente, as despesas financeiras, ou seja: a formação de superávit primário para o pagamento de juros da dívida pública.

Para a CGTB, a PEC “tem o objetivo de aumentar os recursos para os banqueiros. Se o limite de gastos públicos tivesse sido criado em 1998, atualmente o salário mínimo estaria em apenas R$ 400, e o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) calcula que serão mais de R$ 800 bilhões as perdas da área de assistência social nos próximos 20 anos”, disse o presidente da central, Ubiraci Dantas de Oliveira.

“As mobilizações, paralisações e protestos devem apontar para os trabalhadores e juventude que precisamos fortalecer a unidade e lutar mais para derrotar os planos do governo Temer. O ajuste fiscal, expresso na PEC-55 e as reformas da previdência e trabalhista, além das medidas que atacam a educação pública, exigem uma resposta enérgica de nossa classe”, ressalta o dirigente da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas, Paulo Barela.

“Desde muito tempo, quase metade do que é gasto pelo governo é destinado todos os anos para pagamento de juros da dívida pública, dívida que não é nossa, e só enriquece ainda mais os banqueiros. Mas isso é ainda pouco para eles. O objetivo agora é retirar o pouco dinheiro que vai para o povo em forma de investimentos sociais”, denuncia a Fasubra (Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnicos-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil).

Segundo a UNE (União Nacional dos Estudantes), “já são quase 2 mil estudantes inscritos para a caravana que vai fazer de Brasília a capital das ocupações estudantis no dia da votação da PEC 55 em primeira instância no Senado Federal”.

Além destes, segundo informa a Adusp (associação dos Docentes da USP), o Fórum das Seis – composto pelos sindicatos de docentes e funcionários das três universidades estaduais paulistas – também está organizando ônibus para Brasília, levando integrantes da USP, UNESP e Unicamp. O movimento ainda ressalta que “as milhares de ocupações pelo país lutam contra todos esses retrocessos de forma combativa. Os estudantes não abrem mão do futuro e não aceitam tantos assaltos aos direitos do povo. Os trabalhadores da educação, também resistem com greves e paralisações”.

Também Entre as entidades que assinam a convocação estão ainda o ANDES (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior), que aprovou greve em suas bases esta semana, contra a PEC (ver matéria nesta página), o PROIFES (Sindicato dos Professores de Instituições Federais de Ensino Superior, Básico, Técnico e Tecnológico) e o SINASEFE (Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica). 

Professores de 27 universidades federais iniciam greve contra PEC

Os professores de pelo menos 27 universidades federais aprovaram início de greve a partir de quinta-feira, 24, por tempo indeterminado, para lutar contra a aprovação da PEC 55 do Senado Federal - que congela os investimentos do governo federal por 20 anos - além de se posicionarem contrários também a Medida Provisória (MP) 746, que propõe a reforma do ensino médio.

Segundo a Associação Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), “as universidades já vivem hoje com um corte de gastos severo. A PEC vem para reduzir ainda mais o orçamento que já é insuficiente para a manutenção das instituições”. “No que tange o ensino público superior, a proposta – caso seja aprovada-, limitará o orçamento das instituições e colocará em risco o pleno desenvolvimento de suas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Vários reitores já manifestaram que o corte nos recursos deverá inviabilizar o funcionamento das instituições nos próximos anos”, continua documento da entidade.

“A conjuntura política está cada vez mais acirrada, a PEC foi aprovada na câmara sem discussão nenhuma com a sociedade. Por isso, sentimos a necessidade de ampliar a mobilização contra essas medidas”, disse Eblin Farage, presidente da Andes.Segundo ele, outras 17 instituições estão com indicativo de greve e devem votar a participação nos próximos dias. Entre elas, a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) que aprovou indicativo de paralisação para os dias 28 e 29 de novembro.

Para o sindicato, esta será uma greve história, pois é a primeira que unifica os dois setores representados pelo ANDES-SN – os setores das Instituições Federais de Ensino (Ifes) e das Instituições Estaduais e Municipais de Ensino Superior (Iees/Imes) – desde a greve contra a Reforma da Previdência em 2003. “Isso, em grande medida, pelo desafio enorme que a gente tem de enfrentar esse processo de desmonte do serviço público, que não é específico de nenhuma esfera, mas que atinge a toda a nossa categoria, todo o ensino superior público”, aponta Eblin.

Dentre as principais mobilizações da greve estão a participação nas caravanas que irão no dia 29 a Brasília, quando acontecerá a votação da PEC no Senado (ver matéria nesta página). Além disso, ficou decidido que a entidade vai ampliar a pressão sobre os senadores e nos estados “para votarem contra a PEC 55, por meio de atividades no Congresso Nacional com visitas em conjunto com as demais entidades que estão mobilizadas”, além de envio de emails e uso de redes sociais.

Fonte: Hora do Povo

Carteirinha da UMES

 

icone-carteirinha-umes

 

icone-guia-de-descontos-umes

 

 

 

Informações

 

icone-gremio-estudantil

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros

 

sptrans

 

 

logo zumbi faculdade comunitaria

 

 

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

 

 

portal do bixiga

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив