Morre Raquel Trindade, deixando grande legado de luta pela igualdade racial.

Foto: http://correionago.com.br

“a história do negro é muito forte, muito bonita, a gente tem muito o que contar”

 

Raquel Trindade foi artista plástica, escritora, professora, diretora de teatro e ativista do movimento negro e das religiões afro-brasileiras.

 

Raquel nos presenteou com sua presença no evento “se tem gente com fome, Dai de comer!”, organizado em setembro de 2016 por nós, o grupo Ô DE CASA e CasIlêOca, em homenagem ao seu pai, Solano Trindade.

 

Nesse nosso último encontro, Raquel muito emocionada recitou o poema de Solano, “Tem gente com fome, dai de comer”, que deu nome ao espetáculo.

 

Uma grande batalhadora pela consciência da importância do negro na história e na construção do país, Raquel desafiava quem fosse necessário para isso. Em entrevista dada ao portal VerboOnline, de Embu, ela descreve alguns dos episódios em que sofreu discriminação racial:

 

VERBO – A Raquel Trindade já sofreu discriminação racial?

Raquel – O negro em geral sofre tudo que é preconceito. São muitas histórias, mas uma discriminação [entre as mais sérias] que sofri foi aqui no Embu mesmo, na época em que Geraldo Cruz me convidou para trabalhar – junto com o Assis, o [artista plástico] Gileno Bahia – no Turismo, que tinha como secretário o Jean Gillon [morto em 2007, aos 87 anos]. Geraldo tinha me pedido para reunir o pessoal e fazer um Carnaval bonito, e ele [secretário] virou para mim e disse: ‘Vou botar uma mesinha na rua para você atender essa gentinha lá fora’. Eu falei: “Você é louco, isso é apartheid, não vou fazer isso!” Quando ele entrou [na secretaria], eu o vi comentar com uma pessoa: “Negro não pensa, não tem cérebro, e não faz arte, faz macaquice”. Ele era romeno, até achei estranho um judeu ter preconceito racial, mas acontece. Procurei o Geraldo, que na hora não falou nada. Ele fez uma reunião com todo o Turismo e falou: “Raquel, essa reunião é para você pedir desculpas para o Jean Gillon”. Eu falei: “Para esse ‘fascistão’ vou pedir desculpa? Você não me conhece, prefiro pedir demissão e derrubar ele”. Foi o que eu fiz.

 

Por toda identidade com nosso povo, Raquel merece o nosso respeito e nosso eterno agradecimento por nos ter dado a oportunidade de ter participado de um pedacinho dessa sua história.

 

Abaixo publicamos o vídeo dela recitando o poema de seu pai, Solano Trindade.

Carteirinha da UMES

 

icone-carteirinha-umes

 

icone-guia-de-descontos-umes

 

 

 

Informações

 

icone-gremio-estudantil

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros

 

sptrans

 

 

logo zumbi faculdade comunitaria

 

 

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

 

 

portal do bixiga

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив