facebook INSTA

Trabalhadores dos Correios aprovam greve em defesa da estatal e da reposição salarial

paralisa-correios

 

“Vamos mostrar ao Governo Federal que não aceitamos destruição dos Correios”

 

Na terça-feira, os trabalhadores dos Correios aprovaram greve nacional por tempo indeterminado em defesa de reajuste salarial e benefícios, ameaçados pela direção da empresa, que se recusa a negociar. A UMES se solidariza aos trabalhadores dos Correios e das estatais que estão ameaçadas de privatização pelo governo Bolsonaro.

“Cerca de 80% das agências vão aderir à greve. Foram 36 sindicatos que em conjunto e com decisão unânime decidiram pela paralisação”, afirma Douglas Cristóvão de Melo, diretor de comunicação do Sintect (Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos e Similares de São Paulo, Grande São Paulo e zona postal de Sorocaba) e da Findect (Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Correios). Outras assembleias ainda ocorrerão nesta semana.

“A direção da ECT e o governo querem reduzir radicalmente salários e benefícios para diminuir custos e privatizar os Correios. Entregar o setor postal a empresários loucos por lucro. Jogar no lixo o atendimento a todos os cidadãos, a segurança nacional envolvida nas operações, a integração nacional promovida pelos Correios”, afirma o Sindicato.

“Infelizmente não restou alternativa. Para manter nosso Acordo Coletivo, repor as perdas aos salários e manter os empregos vamos ter que lutar. E tem que ser todo mundo junto e unido em cada setor e nacionalmente”.

As negociações para um novo acordo coletivo ocorrem desde julho e, no dia 4 de setembro, a direção da empresa rejeitou a mediação da negociação pelo TST (Tribunal Superior do Trabalho) com funcionários, recusando-se a manter por 30 dias o acordo coletivo vigente.

A categoria defende reajuste salarial pela inflação, de 3,43%, e a manutenção de benefícios, como ter os pais como dependentes no plano de saúde, continuidade de percentual de férias em 70% e vales alimentação e refeição.

No entanto, a proposta da empresa previa reajuste salarial abaixo da inflação, de 0,8%, e a exclusão dos pais de planos de saúde também é um ponto sensível na negociação.

“A intenção do governo e da direção da ECT é acabar com os benefícios da categoria”, afirma a nota do Sindicato, ressaltando que agora “vamos juntos mostrar à direção da ECT e ao Governo Federal que não aceitamos destruição do nosso Correios, dos nossos direitos, dos nossos empregos e salários, do sustento das nossas famílias”.

Em São Paulo, cerca de 5 mil trabalhadores participaram da assembleia

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив