facebook INSTA

Ataque de Bolsonaro com insinuações sexuais contra jornalista da Folha é criminoso e inadmissível

47929581 303

Ao ofender a jornalista Patrícia Campos Mello, com insinuações sexuais que causam nojo a qualquer pessoa de bom senso, o cidadão está na cadeira da Presidência da República demonstra seu completo desrespeito às mulheres e à democracia. Seu comportamento misógino não é compatível com o posto que ocupa. 

Disse ele: “Olha, a jornalista da Folha, tem mais um vídeo dela aí”, referindo-se exatamente a um fake news divulgado pela milícia bolsonarista com montagens grotescas e difamações à profissional.

“Eu não vou falar aqui porque tem senhora do meu lado. Ela falando eu sou a ‘tatata’ do PT. Tá certo? E o depoimento do Hans River foi no final de 2018 para o Ministério Público, ele diz do assédio da jornalista em cima dele. Ela queria um furo. Ela queria dar um furo [pausa, pessoas riem] a qualquer preço contra mim. Lá em 2018, ele já dizia que eles chegavam perguntando ‘o Bolsonaro pagou para você divulgar informações por Whatsapp?’”, continuou Bolsonaro.

Bolsonaro fala sobre o ex-funcionário da empresa de marketing digital Yacows, Hans River do Nascimento, que mentiu em seu depoimento à CPI das Fake News, dizendo que a jornalista teria se insinuado para ele em troca de informações sobre a campanha de Bolsonaro. A empresa onde Hans trabalhava é investigada no esquema de disparo em massa de mensagens falsas por meio das redes sociais durante as eleições. Hans tinha entrado em litígio com a empresa e depois se entendeu com sua direção.

A UMES de São Paulo demonstra seu completo repúdio aos ataques de Bolsonaro contra a jornalista. Além de desrespeitar uma profissional que exerce uma função fundamental para a democracia, o presidente comete crime de Misoginia, contra as mulheres. Tal comportamento não pode ser tolerado em qualquer circunstância, ainda mais para alguém que está no principal cargo da nação brasileira.

Para a Associação Brasileira de Imprensa, Bolsonaro adota um “comportamento misógino” e afirmou que ele necessita de “tratamento terapêutico”.

“Este comportamento misógino desmerece o cargo de Presidente da República e afronta a Constituição Federal. O que temos visto e ouvido, quase cotidianamente, não se trata de uma questão política ou ideológica. Cada dia mais, fica patente que o presidente precisa, urgentemente, de buscar um tratamento terapêutico.”

A Federação Nacional de Jornalistas enxergou na fala um “grave episódio de machismo, sexismo e misoginia”. O órgão avisou que estará atento para denunciar o que vierem a ser outros ataques do mandatário do país contra profissionais da imprensa e mulheres em geral. “Repúdio ao teor do pronunciamento do presidente e, junto com sua Comissão Nacional de Mulheres, coloca-se como incansável na tarefa de denunciar, tão sistemático quanto forem, os absurdos declarados por Jair Bolsonaro”. Por fim, a entidade se colocou à disposição para dar apoio político e jurídico à jornalista Patrícia Campos Mello.

Repúdio de parlamentares e políticos

O caso também foi condenado por parlamentares, governadores, políticos e sindicalistas.

A líder da Minoria na Câmara, deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ), afirmou que o presidente precisará responder na Justiça pela sua fala. “Bolsonaro tem que responder na Justiça à Patrícia Campos Mello pela insinuação criminosa feita hoje. Não há muito o que esperar dessa criatura neandertal que se acocora na poltrona presidencial. No mais, não vou divulgar o vídeo da fala asquerosa. É o que ele quer de nós, mas não terá”, disse a parlamentar.

O PSL, antigo partido de Jair Bolsonaro, aderiu ao coro de repúdio. Pelo Twitter, o partido condenou os ataques à jornalista. “O PSL preza pela liberdade de imprensa e respeito pelos indivíduos. As agressões contra a jornalista Patrícia Campos Mello são inaceitáveis e merecem o repúdio dos brasileiros de bem. A atitude, além de ofensiva, demonstra pouco apreço pela democracia”.

Perpétua Almeida, líder do PCdoB, pediu união para superar o machismo ainda existente no país. “Eu não vou colocar aqui a fala vil, ordinária e misógina do Presidente sobre a jornalista Patrícia Campos Mello. Precisamos nos unir para defender nossa democracia, exigir deste senhor postura de um presidente e combater o machismo! Minha solidariedade”, disse.

Também do PCdoB, Alice Portugal (BA) apontou que a fala do presidente só colabora com a violência contra as mulheres. “Bolsonaro insulta com insinuação sexual à jornalista Patrícia Campos Mello. Mais um episódio grotesco de violência contra a mulher, ataque covarde. Todo nosso repúdio. Não vamos tolerar!!!!”, disse ela.

A senadora Katia Abreu (PDT) repudiou o ataque á Jornalista da Folha. “Insinuam sobre aspectos sexuais porque ela é mulher”, disse. O PSDB se manifestou em solidariedade à jornalista. “Reafirmamos nossa solidariedade com a repórter @camposmello, que vem sendo perseguida com insinuações em torno do seu trabalho. Defendemos uma imprensa livre, mesmo que passível de críticas quando necessário”.

Lídice da Mata (PSB-BA), deputada federal e relatora da CPMI das Fake News, condenou a “atitude covarde, descabida e grotesca do presidente da República com a jornalista Patrícia. Em mais de 30 anos de vida pública, nunca imaginei ver algo tão ridículo de um mandatário da Nação”.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também se pronunciou: “Qual o limite do absurdo? Em que democracia sã um presidente da República se sente à vontade agredindo, assediando mulheres? O Brasil nunca esteve diante de tanta covardia! As instituições não podem se calar! Toda minha solidariedade à jornalista!” disse o líder da oposição no Senado.

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, disse que “a repórter Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, merece todo o nosso apoio contra os que, feito o Bolsonaro, tentam depreciar o trabalho jornalístico, a dignidade da mulher, a democracia e a busca pela veracidade dos fatos”. Vários parlamentares do PT também repudiaram as declarações de Bolsonaro, entre eles, a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o senador Humberto Costa (PT-PE).

Janaina Paschoal (PSL-SP), deputada estadual, também protestou. “Seria prudente o presidente se policiar e seus auxiliares não o instigarem. Essas situações não ajudam ninguém. Por mais que ele tenha sido eleito com esse estilo, todo ser humano pode se esforçar para melhorar”, disse. Ivan Valente (PSOL-SP), afirmou que “o país experimenta total degradação das relações institucionais. A agressão de Bolsonaro contra a jornalista @camposmello atinge todas as mulheres do Brasil. O ocupante do Planalto falta com decoro, atenta e viola a dignidade do cargo. O impeachment será inevitável. Basta!”

João Doria (PSDB-SP), governador de São Paulo, e o ex-presidente Lula também se pronunciaram. “Quero reafirmar todo respeito a liberdade de imprensa. Respeito pelos jornalistas, por aqueles que fazem a notícia. Considero muito desrespeitosa a atitude do presidente mais uma vez em relação aos jornalistas, em especial a uma jornalista mulher. Desrespeitosa e condenável a atitude do presidente”, disse Dória. “Esse comportamento do presidente já virou um comportamento cotidiano dele”, disse Lula.

A mensagem contra a jornalista também foi criticada pela deputada Luizianne Lins, do PT-CE. “Incapaz de governar, Bolsonaro volta a agredir com acusações de cunho sexual jornalista da Folha de SP. Patrícia Campos Mello vem revelando a ligação da família Bolsonaro com a disseminação organizada de fake news. Não nos calaremos!”, protestou.

Margarida Salomão (PT-MG) pediu e prestou apoio à jornalista listando os erros presidenciais. “Todos os dias Bolsonaro testa os limites da democracia. Todos os dias ele mente. Todos os dias, portanto, Bolsonaro comete crimes. Crimes contra o decoro, contra as mulheres, contra a democracia. Está na hora de pagar por seus erros.”

Com informações do Jornal Hora do Povo

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 
 

Cultura

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

  

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

  

 

Fique bem informado

 

hp

 

 logo

 

 

jornaldausp

 

icone-apeoesp

 

  

icone-campanha-educacao

 

  

 portal do bixiga 

 

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив