facebook INSTA

Funcionários da USP ocupam universidade após desconto de ponto

Ao menos dez prédios da USP foram fechados nesta segunda-feira (4) por funcionários grevistas após a constatação de que os pontos haviam sido descontados. O grupo promete continuar as manifestações e montar barracas para passar a noite na frente da reitoria.

Segundo a universidade, foram fechados a reitoria e os nove prédios citados em uma liminar de reintegração de posse concedida pela Justiça no último dia 24. Eles foram liberados no último final de semana, mas voltaram a ter as atividades suspensas nesta segunda.

Os prédios que foram fechados são: a prefeitura do campus, administração central, restaurante central, restaurante da física, arquivo central, museu de arqueologia, superintendência de tecnologia de informação, centro de práticas esportivas e a clínica de odontologia.

A greve de funcionários, professores e uma parte dos alunos já acontece há dois meses. Durante o ato desta segunda, os funcionários fizeram uma assembleia em frente à reitoria e decidiram manter a paralisação. A ideia do grupo é pressionar a universidade a negociar um reajuste salarial.

O bloqueio da reitoria foi feita após os funcionários constatarem, durante a assembleia, que tiveram pontos descontados por conta da paralisação. A folha de pagamento foi disponibilizada aos trabalhadores por meio de um sistema interno e é referente ao período de 21 de junho a 20 de julho.

A reitoria afirmou que a liminar de reintegração de posse, concedida pela Justiça na semana passada, ainda está valendo.

A liminar em questão foi concedida no último dia 24 e determinou a reintegração de posse de prédios ocupados, impedindo também os grevistas façam piquetes e interrompam o acesso aos prédios do campus. A decisão permite, caso haja necessidade, o "uso da força policial" para que a determinação seja cumprida.

Desde o início da tarde, o ato dos manifestantes é acompanhado pela Força Tática, uma base comunitária da PM, além da guarda universitária. Não houve, porém, nenhum registro de tumulto.

 

GREVE

 

Os trabalhadores das três universidades públicas estaduais (Unesp, Unicamp e USP) entraram em greve no dia 27 de maio, em protesto à proposta dos reitores de não conceder reajuste salarial à categoria.

O reajuste pedido por eles é de 9,78%. Os servidores, tradicionalmente, ganham reajuste em maio -em 2013, por exemplo, foi de 5,39%.

 

Com informações da Folha de São Paulo

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив