facebook INSTA

Os fenomenais cursos do psicodélico Pronatec

Artigo de Carlos Lopes publicado no Hora do Povo

 

Pensamos em colocar como título desta matéria, e desta página, "O fenomenal Pronatec e suas maravilhosas máquinas voadoras".

Dirá o arguto leitor: "mas isso não tem sentido".

É verdade, leitor, isso não tem pé - e muito menos cabeça. Por isso mesmo, seria um título à altura do Pronatec, o chamado Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, que, segundo Dilma, vai "aumentar a produtividade nas nossas empresas e a competitividade da economia brasileira".

Há poucos dias, em Minas Gerais, ela até mesmo identificou o Pronatec como sua "política industrial" – algo psicodélico para quem, há três anos e oito meses, pratica a política mais anti-industrial da História da República desde Campos Sales e seu ministro da Fazenda, o afamado Joaquim Murtinho, aquele que achava que os brasileiros eram incapazes de ter indústria própria, pois esta era uma prerrogativa de raças superiores, como a anglo-saxônica.

Dilma disse mais: "esses cursos compõem a chamada trajetória educativa na área técnica. Há um caminho de formação técnica. Nós demos a oportunidade para estas pessoas se formarem, homens e mulheres brasileiros".

Realmente, formar "Disc-jóqueis (DJs)" (curso nº 214 do Guia Pronatec, 3ª edição), "atendentes de lanchonete" (curso nº 76) ou "balconistas de farmácia" (curso nº 118) aumentará tremendamente a produtividade da empresas e a competitividade da economia...

O que Dilma está fazendo, inclusive, é desrespeitar algumas profissões dignas, usando-as para uma pantomina eleitoreira.

Todas as profissões honestas merecem respeito. Mas o Brasil não precisa de "ensino técnico" para formar "operadores de telemarketing" (curso nº 498 do Guia Pronatec), o que apenas significa que esse "ensino" não tem nada de "técnico" (e, aliás, não tem nada de "ensino").

Pois esse é o problema do Pronatec: ele é uma farsa - quase todos os seus cursos nada têm a ver com cursos técnicos.

Na tabela desta página, o leitor poderá conhecer alguns dos cursos do Pronatec, com sua descrição (segundo o próprio Pronatec) e sua carga horária. Não alteramos em uma vírgula a descrição dos cursos. Portanto, o humorismo involuntário - que faz lembrar o Festival da Besteira que Assola o País (FEBEAPÁ), registrado pelo saudoso Stanislaw Ponte Preta na época da ditadura - corre inteiramente por conta dos autores do manual do Pronatec. A única alteração que fizemos foi um grifo na descrição do curso de "alemão básico" (curso nº 44).

Nesse caso, não conseguimos evitar o destaque, diante de um curso tão original, que o cidadão, depois de fazê-lo, só pode comunicar-se (e "de modo simples") "se o interlocutor falar lenta e distintamente e se mostrar cooperante".

Como será que o sujeito vai conseguir dizer ao alemão que ele tem de "cooperar"? Será pela mímica? Mas isso mereceria outro curso, possivelmente chamado "Mímica para alemães entenderem o aluno que cursou o alemão básico do Pronatec". Aqui fica a nossa sugestão.

No entanto, Dilma disse no debate da TV Bandeirantes: "No que se refere à educação tivemos um grande salto. Vou citar o Pronatec. Oito milhões de jovens e adultos com acesso ao ensino técnico".

Ela esqueceu de acrescentar que a evasão do Pronatec, numa estimativa caridosa, vai de 45% a 60% dos matriculados, como já veremos. Mas, continuemos.

O segundo problema do Pronatec é que seu verdadeiro objetivo é formar criados para os magnatas que por aqui arribarem – ou para os novos ricos que a especulação faz aparecer de vez em quando, por curtos períodos, antes de quebrá-los implacavelmente (Eike Batista é apenas o caso mais notório desses favoritos do governo Dilma). É verdade que o governo, com o Pronatec, quer formar criados do modo mais incompetente possível – mas que o objetivo é esse, lá isso é.

Durante décadas, desde a Revolução de 30, os pobres desejaram – e vários conseguiram – formar-se em escolas técnicas e em universidades públicas. Agora, Dilma estabeleceu cursos, com dinheiro público (R$ 14 bilhões até o final de 2014, segundo anunciou), para que eles sejam "agentes de limpeza e conservação" (ou seja, faxineiros), "mensageiros em meio de hospedagem" (boys de hotel) ou "agentes de observação de segurança" (aquele sujeito que fica na porta da empresa, revistando trabalhadores e trabalhadoras na saída, para ver se eles roubaram alguma coisa, pois não se pode confiar em pobre).

Porém, indagará o leitor, por que o governo Dilma tem preferência por esses "cursos", ao invés de continuar a obra do governo Lula, que organizou cursos técnicos verdadeiros – e decentes – em instituições públicas?

O Pronatec é uma projeção da cabeça de sua criadora. Tudo ao modo de alguém que acha que não temos "capacidade de gestão" nem para administrar lojinhas em aeroportos. Por isso é que Dilma diz que esses cursos "qualificam o trabalhador". Joaquim Murtinho e Campos Sales devem estar aprovando, diretamente do Inferno, onde hoje estão dando os seus coices.

O que esses cursos fazem é desqualificar o povo. Porque a única função em que Dilma consegue ver o povo brasileiro é a de criado – de magnatas estrangeiros, mas também dos picaretas financeiros, aos quais tem estranha adstringência (Por exemplo: "Eike é o nosso padrão, a nossa expectativa e, sobretudo, o orgulho do Brasil quando se trata de um empresário do setor privado. Ele percebe os interesses do País. Merece os nossos respeitos" - Dilma Rousseff, 26/04/2012).

É notável – e mais uma prova, se fosse necessário, da inteligência nacional - que os alunos do Pronatec perceberam rapidamente qual o seu verdadeiro conteúdo.

Declarou o diretor de pós-graduação e cursos técnicos da Kroton Educacional, Paulo de Tarso, que, nas escolas da Kroton, a evasão do Pronatec vai de 45% a 60% (v. BBC Brasil, 02/09/2014). A Kroton, controlada pelo fundo norte-americano Advent International, chegou a inscrever 58 mil alunos no Pronatec em suas unidades em todo o Brasil (por exemplo: Anhanguera, Pitágoras, Universidade de Cuiabá e Uniban). Todos os alunos, evidentemente, pagos com dinheiro público. Apesar dessa alta evasão, no último dia 4 de agosto, o governo "autorizou" mais 28.104 vagas do Pronatec para a Kroton.

Alguns especialistas da área – inclusive com cargos no governo – aventaram que, se a Kroton Educacional está confessando uma evasão de até 60%, o provável é que essa evasão seja maior. Entretanto, os números da Kroton já são suficientes para avaliar o que são as "oito milhões" de matrículas do Pronatec, propalados por Dilma – tanto é assim que o governo, agora em agosto, concedeu mais vagas para a Kroton. Portanto, deve avaliar que sua taxa de evasão do Pronatec é normal...

O coordenador do Pronatec na Faculdade Sumaré, Júlio Araújo, disse, na mesma reportagem da BBC, que "nossa taxa é de quase 60% [de evasão]. Temos falado com outras instituições que têm reportado problemas semelhantes". Mas, diz Araújo, apesar disso, para as instituições privadas, o Pronatec é uma "vantagem" (sic) porque "como é o governo que paga pelos cursos, a inadimplência não é um problema".

Diante de uma declaração do MEC de que a taxa de evasão era de 12,8%, declarou outro coordenador de uma faculdade privada: "não sei como o governo está chegando nesse índice oficial, mas ele nos parece totalmente irreal" (BBC Brasil, 02/09/2014).

Portanto, em terceiro lugar (ou será em primeiro?), o Pronatec é uma forma de colocar dinheiro público em arapucas particulares, inclusive estrangeiras.

A nossa lista é apenas uma amostra. Alguns dos "cursos" foram selecionados por razões que vão além da profissão para a qual, supostamente, ele qualificaria.

Por exemplo, como será que o Pronatec forma um "domador de cavalos" em 200 horas? Lá em Vacaria, cidade gaúcha onde o autor destas linhas passou parte da infância, os domadores de cavalos praticamente nasciam domando cavalos – e, mesmo assim, havia acidentes lastimáveis. Imagine-se o que é um domador de cavalos formado em curso de 200 horas. Pior que isso, só se fosse por correspondência.

E o que dizer do "cuidador de animais silvestres" formado em 160 horas? Como sabe o leitor, o pintassilgo é um animal silvestre. Mas também a onça pintada e o jacaré de papo amarelo são animais silvestres...

Quanto ao curso de "sushiman", o Brasil – especialmente São Paulo – é rico em nordestinos que são excelentes "sushiman". Como eles aprenderam a fazer sushi? Ora, olhando os japoneses fazerem. Alguns (o nosso povo é assim) começaram como faxineiros de restaurantes e se tornaram ases da culinária japonesa. Sem curso algum, exceto aquela universidade de que falava Gorky, a universidade da vida. Mas o Pronatec pretende formar "sushimen" em 160 horas - e ainda gastar dinheiro público com isso, pagando entidades privadas, inclusive estrangeiras...

Há também aqueles casos em que selecionamos o curso pela inventividade do nome. Convenhamos que chamar faxineiro de avião de "agente de limpeza em aeronaves" é - como se dizia – dupirú.

Bem, leitores, a presidente Dilma não pode se queixar de que escolhemos como amostras apenas os "cursos rápidos", pois 72% das matrículas do Pronatec, segundo o próprio MEC, estão nesses cursos.

O que são eles, é bem exemplificado por alguns depoimentos concedidos ao HP por ex-alunos. Aqui está o de uma aluna que reside no interior do Ceará:

"Eu queria fazer ‘mecânica’ ["mecânico de automóveis leves"], um curso de 400 horas], aí me disseram que o bom para mim era costura ["auxiliar de costura", 160 horas]. Depois que eu insisti muito, consegui me matricular no curso de mecânica. Passei um mês abrindo e fechando o capô de um carro velho. Quando chegou no carburador e a enrolação continuou, aí eu desisti".

Quando será que ia chegar a vez da injeção eletrônica?

 

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив