facebook INSTA

Capoeira: cultura, tradição e identidade - entrevista com Professor Pavio, do grupo da UMES

 

Na semana em que comemoramos o Dia Nacional da Cultura Brasileira (05 de novembro), nada melhor do que resgatar a história de um dos elementos mais importantes e tradicionais da cultura nacional - a capoeira.

 

A tarefa é difícil, como nos lembra o professor-instrutor do grupo de Capoeira da UMES, Pavio. “Os documentos e a literatura sobre a capoeira são escassos. A tradição é contar a sua história e, ao mesmo tempo, resgatá-la na prática, ou seja, nas rodas de capoeira”, afirma.

 

De fato, a luta criada aqui no país pelos escravos foi, até 1940, proibida através do código penal. “A capoeira foi, antes de tudo, uma luta política e uma forma de resistência à escravidão”, diz Pavio.

 

Marginalizada e tendo a sua prática clandestina, somente a partir de meados do século XX e por esforço do baiano Manoel dos Reis Machado, o Mestre Bimba, que a capoeira deixou o código penal para ser conhecida como um esporte, uma luta marcial e uma expressão cultural.

 

“Mestre Bimba, perseguindo o objetivo de transformar a tradição capoeirista em uma luta marcial brasileira, criou a Luta Regional Baiana, que hoje conhecemos por Capoeira Regional”.

 

Mantendo a ginga, a música e alguns instrumentos, e excluindo outros (como o atabaque para que a luta não tivesse relação direta com religião, como o candomblé), Bimba queria provar a eficiência marcial da capoeira, na época perdida para uma prática somente simbólica. Os elementos culturais e o intuito de resgate da tradição da capoeira dos escravos foram mantidos, destacando a contribuição do Mestre Pastinha ao lado de Bimba. A capoeira foi retirada do código penal pelo presidente Getúlio Vargas, que afirmou: “A Capoeira é o único esporte genuinamente brasileiro”.

 

“Sem Bimba talvez a gente nem soubesse o que é capoeira”, conta.

 

A luta então passou a ter uma sequencia pedagógica, instituindo a graduação de cordas que hoje conhecemos. Era exigido dedicado treinamento técnico e condição física. Mestre Bimba então dava aulas na Universidade Federal da Bahia (UFBA) e, analfabeto, contou com a ajuda dos estudantes de medicina na criação de movimentos e dos de pedagogia para a criação das sequencias que facilitavam o aprendizado.

 

“Ele exigia muito de seus alunos e para treinar com ele era necessário seguir seus mandamentos, ser trabalhador ou estudante e não podia beber ou fumar”. Através de seus seguidores, a Capoeira Regional se espalhou pelo Brasil inteiro. Ele, no entanto, morreu em condição miserável em Goiânia.

 

Resgate

       

Pavio liderou a criação de um grupo de capoeira na UMES, formado por estudantes de todas as partes da cidade. Ele fala da importância da iniciativa.

 

“Passamos por um momento em que para o imperialismo a mais eficiente forma de dominação é destruir a nossa cultura, impor a deles, especialmente entre a juventude. Vemos inclusive as instituições públicas, promovendo e fomentando uma coisa que não tem nada a ver com a nossa história”, afirma.

 

“Estudar e praticar capoeira é manter viva e resgatar nossa cultura e a nossa identidade. O nosso grupo na UMES se propõe, além de oferecer as aulas gratuitas, a ser a porta de entrada para que a capoeira seja uma prática comum dentro das escolas”, explica.

 

     Foto: Pavio e Mestre Joel em homenagem na Câmara Muncipal

 

Estima-se que no Brasil há 5 milhões de capoeiristas. Apesar das linhagens, das diferentes origens e formas de praticar a capoeira, há uma grande unidade entre os que praticam: a defesa pela liberdade e pela cultura popular.

 

“Há muitas divergências sobre essa história, que é contada oralmente através das músicas e rodas e isso já é uma tradição. A história de Besouro Mangangá, a maior lenda da capoeira, é contada assim. Só descobriu-se que ele viveu de verdade 90 anos após a sua morte, fruto de uma exaustiva pesquisa que quase não encontrou documentos ou registros”, relata Fabiano.

 

E por fim – ou pra começo – Pavio convida a todos os interessados a participarem das rodas de capoeira na UMES. As aulas são gratuitas e acontecem na sede da entidade todas as terças e quintas em dois horários - sendo um a tarde das 14 às 15:30 horas, e outra a noite das 19:30 às 21 horas.

 

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив