facebook INSTA

Menos Juros, Mais Educação: UMES participa de manifestação contra a política de juros altos

Convocada pelas Centrais Sindicais CGTB, Força, UGT e NCST, a manifestação contra os juros altos nesta terça-feira (02) reuniu entidades do movimento sindical, social e estudantil em frente à sede do Banco Central (BC). A diretoria e ativistas da UMES se somaram ao ato, com o lema: Mais Educação, Menos Juros.

A manifestação foi marcada para o primeiro dia da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) BC, que no dia seguinte (quarta, 03) aumentou a taxa básica de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, para 11,75% ao ano – a segunda alta seguida em 38 dias.

 Além dos representantes das centrais sindicais, a manifestação contou com a presença de diversas lideranças do movimento social, como o presidente do Congresso Nacional Afro-Brasileiro (CNAB), Alfredo de Oliveira Neto; a secretária-geral da UNE, Iara Cassano; o presidente da UMES, Marcos Kauê; a presidente da Confederação das Mulheres do Brasil (CMB), Gláucia Morelli; e o presidente da Federação dos Agentes Comunitários de Saúde, de Combate a Endemias, de Proteção Social, Promoção Ambiental e Acompanhantes Comunitários do Brasil (Fenaac), José Roberto Prebill. O Partido Pátria Livre (PPL) e o Solidariedade (SSD) também compareceram.

Puxando o ato, o presidente da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Ubiraci Dantas de Oliveira, o Bira, afirmou que “somente nos últimos 12 meses, R$ 280 bilhões foram transferidos aos bancos através de pagamento de juros, estabelecidos pelo próprio governo, em prejuízo da educação, da saúde, saneamento, transporte e outras necessidades básicas da população”.

Na avaliação do presidente da UMES é preciso continuar nas ruas pela redução da taxa de juros: “Nós estamos aqui hoje em uma grande luta para barrar esse aumento dos juros. Os banqueiros estão roubando a grana do povão, por isso que falta casa, saúde e educação. Nós estamos aqui e vamos estar aqui quando for necessário para derrubar essa taxa de juros”.
O dirigente da CGTB denunciou a política que está sendo adotada o país, o povo e a Petrobrás. “Três dias depois da eleição o governo aumentou os juros. Aumentou a luz, em alguns lugares em 54%. E escalou para o ministério da Fazenda o Joaquim Levy, agente do FMI e funcionário de um banco. A Petrobrás está sendo assaltada. Para não ser preso, apenas um elemento se prontificou a devolver US$ 100 milhões. Entregar de volta o dinheiro que roubou para tentar alcançar a liberdade. Isso é só a ponta do iceberg. Aqueles que eram vestais da honestidade e da ética, na verdade, roubavam na calada da noite o nosso símbolo de eficiência, que é a Petrobrás, um orgulho nacional”, disse Bira.

Para o secretário-geral da Força Sindical, João Carlos Gonçalves, Juruna, “temos que manter a unidade de ação do movimento sindical para defender uma política de redução dos juros e combater todas as medidas que prejudiquem os trabalhadores”.

 

Nos últimos 12 meses o pagamento de juros transferiu aos bancos R$ 280 bilhões.

 

Para o presidente da Nova Central Sindical Trabalhista de São Paulo, Luiz Gonçalves, Luizinho, a alta dos juros pode causar desemprego, diminuir a atividade produtiva e não conseguirá conter a inflação. “Entendemos que com a redução dos juros sobrará mais dinheiro para investir na infraestrutura, na saúde e no ensino, para sairmos da lanterninha dos países do BRICS (...) depois destas primeiras medidas anunciadas pela presidente Dilma Rousseff e sua nova equipe econômica, manifestação como esta se repetirão com mais freqüência”, enfatizou o dirigente.

“Não podemos nós, trabalhadores, continuarmos com esses juros, um dos maiores do universo. Temos que ter juros baixos e mais empregos. Temos que ter valorização da indústria nacional. Temos que ter geração de emprego em toda a cadeia produtiva. Esse é o objetivo das Centrais”, destacou o diretor de Relações Sindicais da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Josimar Andrade.

Alfredo, do CNAB, ressaltou que “é a população negra que mais sofre com essa política, porque a cada ponto percentual de juros que o Banco Central aumenta são R$ 14 bilhões que deixam de ser aplicados na saúde, na educação, na moradia, no transporte. E é na periferia que o povo, em sua maioria negra, está sofrendo as consequências”.

 

No Rio de Janeiro, as entidades sindicais e do movimento social, além da Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet) também se reuniram na porta da sede regional do BC, exigindo uma política econômica que seja favorável ao Brasil e não ao capital financeiro internacional.

De acordo com manifesto assinado pelas várias entidades, “a taxa média de 2% de crescimento anual da economia nos últimos quatro anos é uma das menores da história do país. É fundamental estancar a sangria da especulação financeira para a promoção de uma política de retomada do crescimento; para melhorar a educação, a saúde, os transportes e a segurança pública; para pôr fim ao famigerado fator previdenciário; para que o povo e em especial a juventude tenham acesso a uma política relevante de cultura; para que o Brasil avance a uma efetiva igualdade racial e que acabe a odiosa discriminação à mulher, conquistando, na prática, o direito estabelecido na Constituição de trabalho igual salário igual”.

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 

 

Informações

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

 

 

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

 

 

 

Fique bem informado

 

hp

 

 

icone-apeoesp

 

 

icone-campanha-educacao

  

  

cropped-capasitecomite-1

Comitê de Luta pela 
Educação Sem Censura

 

   

portal do bixiga

 

 

logo anpof2

Associação Nacional de

Pós-Graduação em Filosofia

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив