facebook INSTA

PNE: 10% do PIB para a educação PÚBLICA já!

Nos últimos anos os estudantes conquistaram importantes vitórias, que permitiu ao Brasil superar a destruição promovida por FHC e pensar em novos desafios para a educação brasileira.

Com a eleição de Lula, tivemos grandes avanços. A criação de cerca de 600 mil vagas nas universidades federais; a expansão das escolas técnicas, que mais que dobraram de tamanho; a conquista do piso nacional salarial para os professores; a criação do PROUNI; e um novo FIES, com menos burocracia e juros mais baixos, representaram um importante marco na luta por uma escola melhor. Hoje deixamos de resistir ao tufão neoliberal dos tucanos e devemos exigir e lutar por cada vez mais conquistas e qualidade no nosso ensino.

Superada a herança maldita de FHC, é necessário que o país desenvolva o ensino público, pense e invista em uma educação que tenha capacidade de fomentar o desenvolvimento, a pesquisa, crie tecnologia e emprego e permita que o Brasil construa com suas próprias forças aquilo que hoje dependemos do estrangeiro.

Porém, ao invés de acelerar na prioridade apresentada por Lula (expansão das universidades e escolas técnicas federais), a presidente Dilma e o ministro Mercadante resolveram puxar o freio de mão. Paralisaram a expansão do ensino público superior e técnico, estrangularam os recursos para as obras que aconteciam e, como se não bastasse, desviaram esses recursos para uma nova prioridade: o ensino pago do PROUNI, PRONATEC e Ciências sem Fronteiras.

 

A realidade da escola pública

A realidade da escola pública hoje é a realidade de uma escola que não possui estrutura, remunera mal seus professores e, consequentemente, não ensina.

Não possui estrutura, pois segundo o censo do ensino básico aplicado pelo Ministério da Educação, das quase 142 mil escolas públicas de ensino fundamental e médio do Brasil, 54% não possuem laboratório de informática, 73% não têm uma quadra para a prática esportiva, 47% não têm sala de professores e 83% não têm biblioteca.

Remunera mal seus professores, pois a média salarial dos professores do ensino básico é 38% menor que a de outros profissionais com formação superior.

Não ensina, pois, além dos problemas acima, hoje a escola pública está tomada pelo mal da aprovação automática, que acabou com exercício e avaliação dentro da escola.  Sem exercitar e sem avaliar também não existe cobrança e, assim, vai por terra toda a autoridade do professor. A qualidade do ensino médio e fundamental foi privatizada, quem quer uma boa escola tem que pagar e quem não tem dinheiro que estude em uma escola que não ensina, que não tem biblioteca, laboratório, quadra e nenhuma  estrutura.

Como podemos superar essa realidade? Qual caminho podemos seguir para ampliar a universidade pública até que ela seja maioria? O que fazer para mudar profundamente a escola pública, garantindo uma escola que ensine e que tenha uma boa estrutura, com condições de tornar ela atrativa e com qualidade. Por mais óbvio que pareça, o único caminho é garantir um grande investimento público na escola pública, retomando para ela o dinheiro que é desviado para o ensino particular.

Essa realidade deixa cada vez mais claro que o ensino privado só existe com o peso que tem devido ao sucateamento completo do público. Uma escola pública com qualidade, que ensine e prepare o jovem para a vida, que seja atraente e que aprove ele na universidade, diminuiria o ensino privado ao que ele é: uma herança da época em que somente os com dinheiro no bolso poderiam ter sucesso. Para comprovar isso basta ver, que mesmo com a escola pública sendo a imensa maioria do ensino médio (87,2%), somente 14% dos aprovados em 2011 (último dado disponível) eram de escolas públicas.

 

PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

Porém, nem mesmo esse cenário onde, de um lado a qualidade da educação básica foi privatizada e, de outro, as faculdades privadas atingiram impressionantes 73% das matrículas, é suficiente para convencer o governo que alguma medida de ser tomada, com urgência, para corrigir esse rumo.

Em 2010 o ministério da Educação enviou para o congresso nacional o Plano Nacional de Educação (PNE), que é responsável por planejar as metas e investimentos necessários para serem alcançadas nos próximos dez anos. O plano enviado pelo governo previa a ampliação do valor a ser investido em educação para 7% do PIB, sem definir que esse mínimo de investimento público seria investido na educação pública. Entidades estudantis, sindicatos e entidades da área da educação, como por exemplo a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, prontamente se mobilizaram para melhorar esse projeto, ampliando o valor a ser investido para 10% do PIB e vinculando esse investimento mínimo à educação pública.

Depois de melhorado, o projeto foi aprovado e enviado ao Senado. Esse texto contava com o apoio de todas entidades da educação.

Porém o apoio dessas entidades e a situação alarmante do ensino público em nosso país não foram suficientes para impedir o governo e alguns senadores de tentarem garfar essa grana, passando uma parte dela para os donos de escolas e faculdades.

Quando o projeto chega na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), o Senador Pimentel (PT/CE) muda o texto, permitindo que parte dos 10% do PIB a ser investido em educação possa ir para a educação privada. Isso se justificaria, segundo ele, pois “… uma atuação que deveria ser supletiva à do Estado, acaba por se firmar como indispensável, em especial na educação superior”. Logo, segundo Pimentel, como o ensino pago é indispensável cabe ao governo em seu planejamento para os próximos dez anos (que não é pouco tempo) garantir as condições para que o dinheiro do povo possa ser transferido para ele. Ou seja, em dez anos estaremos com a escola pública ainda pior e o ensino pago ainda mais forte.

Os estudantes não podem permitir que esse golpe se concretize! O Brasil tem recursos suficientes para investir e revolucionar a educação pública. Basta direcioná-los corretamente e priorizar o ensino público.

Carteirinha da UMES

 

Doc Estudante 2019 UMES fte Alta Cartaz
 
 

Cultura

 

CPCUmesFilmes Logo fundo branco

 

  

Parceiros 

sptrans

 

  

casa mestre ananias

  

 

Fique bem informado

 

hp

 

 logo

 

 

jornaldausp

 

 

 portal do bixiga 

 

 

pornoimpala.info pornopingvin.com
Yurtdışı Eğitim Makedonya Avrupa Üniversitesi Makedonya Eğitim Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Saraybosna Üniversitesi Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Bosna Hersek Üniversiteleri Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Travnik Üniversitesi Saraybosna Üniversiteleri Makedonya Üniversiteleri Struga Üniversitesi Kiril Metodi Üniversitesi Bulgaristanda Eğitim Bulgaristanda Eğitim Bulgaristan Üniversiteleri Bulgaristan Üniversitesi Bulgaristan Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukrayna Üniversiteleri Ukraynada Üniversite Ukrayna Üniversiteleri Malta Dil Okulları Gürcistan üniversiteleri Gürcistan Eğitim Malta Dil Okulu Malta Nerede ingiltere Dil Okulları ESE Malta Dil Okulu Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив Лазерна Епилация Пловдив